Ir para o conteúdo principal

Blog


9 passos para superar a sensação de fracasso

9 passos para superar a sensação de fracasso

O fracasso é parte inevitável da vida. Pode ser na carreira, nas relações familiares, em alguma amizade, no amor – tudo isso em maior ou menor escala – nós falhamos em algum momento e nunca estaremos imunes a dar um passo em falso no futuro. Entre verdadeiras tragédias e decepções de curta duração, algumas das coisas ruins que nos acontecem são frutos diretos de nossas ações, enquanto outras contam com grande participação de terceiros.

Como lidar com isso tudo? Confira algumas dicas de profissionais:

Identifique

Tristeza, culpa, raiva, baixa autoestima, decepção, hostilidade, medo, luto. Quando algo não corresponde às expectativas, é natural ter a sensação de frustração e perda. Mapeie o que você está sentindo e por quê.

“Identificar todos esses sentimentos depende muito da história de vida de cada um de nós. Para alguns, identificar, sentir, sofrer, agir e superar a situação pode ser facilmente alcançado”, afirma Marina Paradanta, pedagoga. Para outros, diz ela, “esses sentimentos podem causar danos tanto na saúde física, quanto mental”. Se lidar com a frustração for muito difícil, o mais indicado é procurar um especialista da área da saúde mental.

Pare

Separe momentos no dia para acalmar a mente antes de fazer avaliações. Meditação, esporte ou alguma atividade que você goste são algumas opções. Essas pausas ajudam a “fazer uma limpeza mental e ter condições elevadas de percepção”, considera Andréa Duque, coaching de desenvolvimento humano e comunicação, palestrante e facilitadora da Unipaz-SP. “Em uma mente tomada por preocupações, é mais difícil fazer avaliações e encontrar novas formas de pensar.”

Questione

Por que isso aconteceu? Para essa pergunta, a resposta tem de estar em si mesmo, não no outro. Ainda que a situação tenha a influência de outras pessoas, o importante é se investigar.

Se houver erros no caminho, entenda o que aconteceu. “As fraquezas não são nossas inimigas”, sinaliza a psicóloga Fernanda Aoki, docente do programa de psicanálise da FSP. E acrescenta: “Não temos o controle de tudo”.

Dimensione

Aqui pode estar o maior inimigo da jornada, segundo Fernanda. Nesse ponto, é preciso ter clareza de que algo fracassou – uma tarefa, um relacionamento –, e não a pessoa.  Existia uma expectativa que não foi correspondida. Andrea complementa: “A forma como você enxerga é que determina se algo é fracasso ou sucesso”.

Entenda-se

Nenhum ser humano é super-herói. Esperar alguém apenas com qualidades e sem defeitos é irreal. Não é sobre ser condescendente com as próprias falhas, mas ser razoável com os limites de cada um.

Aprenda

Que lições você pode tirar do que aconteceu? Andrea diz que é preciso abrir o campo de visão. “Qual é o ‘sim’ que essa situação está me trazendo? Que convite à mudança ela está me fazendo?”, questiona.

“Quando encaramos uma decepção como aprendizado, estamos reconhecendo que podemos tentar realizar algo de outra forma, ou seja, de que forma podemos agir numa próxima tentativa, ou daqui para a frente e não repetir o que sempre foi feito”, ensina a pedagoga.

Valorize-se

Uma das formas de superar o que aconteceu é lembrar de suas qualidades. Lembre-se de características e comportamentos em que você se destaca positivamente. Pode ser em uma determinada tarefa no trabalho, em uma atividade (como crochê, ioga) ou nos relacionamentos (cuidando dos filhos ou netos). Uma coisa ruim não apaga sozinha todo o resto que é bom.

Acompanhe

Essa é uma tarefa permanente: perceber se você está se sentindo um fracasso e mudar a forma de pensar, buscando enfoques mais positivos. “Não é automático, mas um exercício”, ressalta Andrea. Há crenças que estão cristalizadas depois de alguns anos. Mas, com esforço, é possível transformá-las.

Respeite-se

Falhar é natural do ser humano. Vitimizar-se e punir-se, no entanto, não é saudável. “Um pensamento gera uma ação e muda a nossa realidade”, destaca Andrea.

Fonte:
Instituto da longevidade – Mongeral Aegon

Comentários