Ir para o conteúdo principal

Blog


Apaixone-se pela natureza: passos para pais e filhos estarem mais ao ar livre

Apaixone-se pela natureza: passos para pais e filhos estarem mais ao ar livre

Nós sabemos que estar ao ar livre faz bem para a saúde. O desafio é mostrar para as crianças (e alguns adultos) que a natureza pode ser tão maravilhosa quanto os videogames. Se por um lado, não é tão seguro quanto antigamente andar livremente pela rua, por outro, é dever dos pais incentivarem os filhos a se “apaixonarem pela natureza” e lembrar da magia de brincar na rua.

“Você não precisa ir para um Parque Nacional para ajudar os seus filhos a se apaixonarem pela natureza; caminhar pelo bairro pode ser suficiente. A tecnologia também não precisa ser inimiga. Em vez disso, use como uma ferramenta para aumentar a admiração deles”, diz o diretor do centro de ciências Science World, Scott Sampson

Confira os três passos indicados por Sampson para que crianças e adultos possam se conectar com a natureza:

1. Preste atenção

Não é preciso levar toda a família e acampar para aproveitar a natureza. De acordo com Sampson, o mais importante é prestar atenção no que há em nossa volta.  “Hoje em dia, nós passamos reto por eventos naturais incríveis”, diz ele.

Podemos começar desenvolvendo pequenos hábitos. Por exemplo, ao sair de casa, pare por 10 segundos e aprecie o ambiente. É possível complementar a experiência com perguntas para ajudar na concentração, como por exemplo: “de onde vem o vento hoje?” “quais diferentes pássaros conseguimos escutar?” ou “o que as nuvens estão fazendo?”.

O mais importante é fazer isso junto com as crianças. Porque elas valorizam o que valorizamos. Então, se mostrarmos que nos importamos com a natureza, elas vão se importar também. Assim, levar seu filho para a escola todos os dias pode ser o início de uma grande aventura.

2. Conecte-se e permita-se

Para apreciar a natureza como um todo, precisamos estar dispostos a essa interação. Não é incomum ouvir pais e mães dizendo “não faça isso”, “não suba aí”, “não se suje”, quando o filho está na rua. Só que esta superproteção impede não apenas que eles se conectem com a natureza mas também com diferentes riscos: uma qualidade que eles vão precisar no decorrer da vida.

A dica de Scott Sampson é ser um pai observador. Fique no entorno, cuidando para ver se a sua intervenção é necessária e, se for, volte a observar depois disso. “Conforme as crianças vão crescendo, aumente a distância entre você e elas para garantir uma maior independência”, completa.

Além disso, uma outra maneira de despertar o interesse do seu filho é falando sobre as suas próprias experiências. Podem ser coisas mais significativas, como ver uma eclipse, ou mais simples, como colher e comer uma fruta direto do pé. Para se conectar com a natureza, não é necessário nada incomum ou grandioso. Você pode incentivar perguntas científicas no seu filho observando a fauna e flora da cidade: os pombos, as moscas, as abelhas e os mosquitos. O que será que eles comem? Como eles dormem?

3. Admire

Quando se fala da natureza, Sampson acredita que o amor e a admiração andam lado a lado. As crianças devem ter a chance de serem conquistadas, por isso, é interessante investir em diferentes experiências. Uma boa oportunidade é cultivar a própria horta. Além de ser possível acompanhar o ciclo de vida das plantas e comer o que plantaram, as folhagens atraem insetos e pássaros que também podem ser admirados.

Sampson não tem nada contra a tecnologia. Ele entende que aplicativos de ciência e natureza são ferramentas poderosas para ajudar as crianças na jornada pela admiração. Com estes mecanismos é possível se conectar com pessoas de todo o mundo, descobrir plantas e animais que não vivem na nossa região e mostrar para as crianças que a vida na natureza é bem parecida da nossa em casa, e cheia de tecnologia.

Admirar a natureza não é apenas uma necessidade imediata para as crianças, mas também, uma forma de promover um futuro sustentável. “Se as pessoas não passam tempo na rua, porque elas se importariam em cuidar da natureza ou, ainda, viver de forma sustentável?”, questiona o diretor. “Vá para a rua, leve seus filhos junto, e deixe-os criar uma conexão. É um dos maiores presentes que você pode dar a eles.”

Fonte:

Comentários