Ir para o conteúdo principal

Blog


Aprenda a reduzir o consumo de energia de eletrodomésticos

Aprenda a reduzir o consumo de energia de eletrodomésticos

Para evitar surpresas na conta de luz, o primeiro passo é ter eletrodomésticos de maior eficiência energética, com letra A no selo Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica), diz Fabio Gallo, coordenador de curso sobre orçamento familiar na FGV. O uso racional dos aparelhos também ajuda a reduzir a conta. Veja algumas orientações de especialistas.

Ferro de passar

Recomenda-se acumular o máximo possível de roupas e passá-las de uma só vez, o que reduz o consumo de energia durante o tempo em que o ferro está aquecendo. Também ajuda passar primeiro as peças que exigem temperatura baixa.

Geladeira

Um modelo com duas portas consome, em média, 56,88 kWh por mês, mas o gasto energético pode ser maior caso não sejam tomados alguns cuidados. Evite abrir a porta sem necessidade e confira se a borracha de vedação está em boas condições. Não cubra as prateleiras com panos, para que o ar frio circule livremente, nem seque roupas na parte de trás do equipamento.

Chuveiro elétrico

Conforme a potência e a regulagem, o consumo varia de 2,10 a 6,0 kWh (quilowatts-hora). Para uma família de quatro pessoas, na qual todos tomam banhos diários de 15 minutos, o uso do chuveiro representa cerca de R$ 100 na conta de luz, segundo a Enel Distribuição São Paulo (ex-Eletropaulo). Se o chuveiro for mantido na posição morno ou verão, a economia pode chegar a 30%.

Ar-condicionado

O aparelho é o principal vilão da conta de luz. É importante calcular a quantidade de BTUs (unidade térmica britânica) conforme o tamanho do ambiente e avaliar o local onde o ar-condicionado vai ficar: espaços onde há incidência de sol durante a tarde pedem maior potência. Feche portas e janelas sempre que o ar estiver ligado e limpe seu filtro periodicamente.

Lâmpadas

Vale investir em lâmpadas fluorescentes ou de LED, que consomem de 60% a 80% menos energia do que as incandescentes. Cortinas leves, que não impedem a entrada de luz natural, ajudam na economia, assim como ter paredes e teto pintados com cores claras, capazes de refletir a luminosidade.

Fonte:
Folha de São Paulo

Comentários