Ir para o conteúdo principal

Blog


Banricoop: a rotina no isolamento social

Banricoop: a rotina no isolamento social

A rotina de todos os brasileiros foi afetada com a pandemia do novo coronavírus. Seja no trabalho, nos estudos ou nas relações com a família e amigos, as coisas não são mais como eram antes. Por isso, cada um de nós precisou se reinventar para seguir a vida da maneira mais habitual possível. 

Com os colaboradores da Banricoop, não foi diferente. Os agentes de negócio seguem oferecendo os serviços da Banricoop mesmo em isolamento e buscam, assim como todos, adaptar seus hábitos diários. Confira os relatos de como cada um está restabelecendo sua rotina e relações sociais: 

“No começo, foi complicado se acostumar com rotina nova. É difícil você se desligar do trabalho quando sua casa se tornou o escritório. Mas, o apoio da equipe é um auxílio para que, nestes quase três meses, o trabalho ficasse mais confortável. Aproveito o momento livre para conversar, ler, falar com meus familiares, fazer um curso online (já que a faculdade parou devido a pandemia) assistir séries e me preparar para o dia seguinte. Nos finais de semana aproveito para ir ao supermercado, sempre de máscara”, conta Ricardo Battaglin, agente de negócios. 

“O contato com meus familiares se dá sobretudo por telefone. Meus pais moram sozinhos e não estão muito familiarizados com as novas tecnologias. Então a boa e velha ligação telefônica é o que utilizamos para matar a saudade. Conversamos quase todos os dias. Com minha irmã, converso pelo Whatsapp e, às vezes, por vídeo chamadas”. 

“No início foi um pouco complicado e enlouquecedor. Eu me senti trancada e entediada. Mas, depois fui me adaptando. Criei uma rotina com atividades e horários e procuro seguir drasticamente. O tempo acabou passando mais rápido e hoje já estou acostumada a ficar em casa. Eu entendi que pra eu seguir com a mesma disposição e produtividade eu precisava “acordar” por completo. Então, eu acordo cedo, troco de roupa (como se fosse colocar o uniforme) e vou pra sala (como se fosse meu novo ambiente de trabalho). Isso me deu mais disposição do que ficar no meu quarto”, destaca Amanda Machado Carvalho, agente de negócios.

“O contato não mudou muito porque minha família já costumava se comunicar muito pelo WhatsApp, a diferença é que agora fazemos muito mais chamadas de vídeo e mandamos áudios. É importante para se sentir mais próximos, ver o rosto e ouvir a voz faz bem”.

“A produtividade se mantém, pois não podemos perder negócios. Para mim, o principal em home office é ter foco. A minha rotina acabou mudando, assim como a de todos: antes de trabalhar, e após o serviço, saio com meu cachorro para dar uma volta na quadra. Uma vez por semana, vou ao mercado e feira com a minha esposa que me acompanha nas compras. Sempre de máscara”, afirma Lucas Nascente, agente de Negócios.

“É difícil manter-se longe dos familiares. A solução que tive foi visitá-los e vê-los somente através do portão. Faço isso com minha mãe, que mora sozinha, e com meus sobrinhos. É complicado, mas precisamos manter o isolamento total”.

Apesar das dificuldades de viver em isolamento, os hábitos e rotinas vão, aos poucos, adaptando-se. Como Amanda, Lucas e Ricardo contam e destacam, é importante, neste período, manter o foco para realizar um bom serviço em home office e estar conectado com a família para dar apoio e manter a saúde mental em dia. O isolamento social é uma medida passageira e necessária para combatermos juntos a doença.


Comentários