Ir para o conteúdo principal

Blog


Mestre cervejeiro: conheça o cooperado que produz cervejas artesanais

Mestre cervejeiro: conheça o cooperado que produz cervejas artesanais Fazer cerveja artesanal pode ser considerado uma arte. O cooperado Diego Cognato, de Itapema (SC), que o diga. Desde 2014, ele produz em casa a bebida em um processo que envolve muito trabalho cooperativo: desde a produção e a troca de ideais com outros cervejeiros até os amigos que, ao final do processo, ajudam a provar o resultado. Confira seu relato!



Cerveja artesanal de primeira

“O talento que quero compartilhar com os colegas cooperados é a fabricação de cerveja artesanal. Por volta de agosto de 2014, conversando com um amigo que estava implementando uma cervejaria artesanal em Itapema (SC), tive a ideia de fabricar também uma leva de cerveja. Só para ver no que dava. Já era apreciador de cervejas especiais há alguns anos e, por isso, decidi tentar. Peguei com esse amigo a lista de materiais e insumos necessários e especificações para fabricar alguns itens que utilizo até hoje.

De modo resumido, a fabricação foi feita em panela e fogão, onde os maltes são hidratados, fervidos a temperaturas específicas e, depois, filtrados para obter a mistura. Após, adicionamos lúpulo em tempos determinados para dar o amargor e o aroma. A fermentação foi feita dentro de bombas de água de 20 litros, assim como a maturação. Em seguida, vem o processo de engarrafamento. O período total de preparo foi de 21 dias e a primeira leva que produzimos rendeu 30 litros de uma cerveja de trigo alemã Weizen.

O legal é que a cerveja ficou boa de primeira, com poucos pontos a melhorar! Isso foi muito animador e acabei fisgado de vez pela fabricação caseira de cerveja. A ideia de imediato foi compartilhar com amigos e colegas, que gostaram bastante. Aí não parei mais. Desde então, fabriquei somente cervejas de alta fermentação, como English, Belgian e American Pale Ale.

Aqui na cidade de Itapema existe um grupo crescente de cervejeiros caseiros que cooperam entre si e trocam experiências e ingredientes, o que deixa o ambiente muito criativo. Destaco os amigos Ronald e Eduardo, da Cervejaria Atlântica, que apoiam na moagem, obtenção de água para minhas cervejas e troca de informações; Edy e Chico da Burbans, da Cervejaria Urbana, que são grandes incentivadores com os quais troco muitas ideias a respeito de cervejas artesanais (e comercializo algumas garrafas lá); e o Paulo da Cusco, que é um dos expoentes da região.”

Diego Cognato


Comentários