Ir para o conteúdo principal

Blog


Orçamento: administrando suas dívidas após as férias

Orçamento: administrando suas dívidas após as férias

Calcule quanto efetivamente gastou
A primeira providência a ser tomada é juntar todas as notas fiscais em seu poder e, com elas em mãos, elaborar uma planilha de gastos nas férias.

Tente elaborar uma lista extensa e bastante detalhada. Em alguns casos isto vai ser fácil, pois são despesas contratadas antes, ou de grande peso, como hotel e passagens aéreas. Mas são as pequenas despesas que, somadas, podem fazer você estourar seu orçamento. Faça um esforço para listar todas e, caso sua memória falhe, assuma uma margem de segurança, colocando um adicional de 10-20% nos gastos identificados.

Feito isto, você terá uma boa fotografia da sua situação financeira e do quanto efetivamente estourou no cheque especial, ou se está devendo no cartão de crédito. Tente estabelecer então se poderá ou não arcar com os encargos da próxima fatura, ou se terá que "aproveitar" o crédito rotativo e pagar apenas o valor mínimo do cartão.

Estabeleça um plano de quitação
Caso tenha que recorrer ao crédito rotativo do cartão, ou tenha entrado no limite do cheque especial, está na hora de planejar uma estratégia de quitação desta dívida o mais rápido possível. Aproveite para checar com o banco e a operadora quanto terá que pagar em juros, de forma que possa estimar como irá evoluir sua dívida, caso não seja quitada.

Se você já conta com uma planilha de orçamento detalhada, que inclua despesas e receitas correntes, esta tarefa será bastante facilitada. Afinal, você terá como estimar rapidamente quanto terá disponível a cada mês para quitar a dívida acumulada nas férias. Abaixo listamos algumas dicas para ajudar você na administração das suas dívidas pós-férias:
- Estabeleça prioridades: se você acumulou dívidas em vários cartões e no cheque especial, é preciso identificar quanto está pagando de juros em cada uma delas, de forma que possa estabelecer qual estratégia é mais efetiva para lhe tirar do vermelho o mais rápido possível. Qualquer que seja sua estratégia, sempre efetue o pagamento mínimo do cartão, e nunca atrase o pagamento da fatura. Tudo o que você não precisa é aumentar ainda mais seu saldo devedor com multa e juros por atraso.
- Pare de gastar no cartão: se, nos regimes, a melhor dieta é aquela em que você diminui drasticamente a quantidade de calorias ingeridas, o mesmo vale para sua vida financeira. Aqui é preciso disciplina nos gastos. Evite novas despesas enquanto não tiver quitado sua dívida, caso contrário você nunca irá alcançar seu objetivo, pois sua dívida continuará sempre crescendo.
- Veja se vale a pena consolidar as dívidas: dependendo da situação em que se encontra, o melhor talvez seja trocar as dívidas do cartão e do cheque especial por um empréstimo pessoal. Os juros cobrados nos empréstimos pessoais são bem mais baixos do que os do cartão ou do cheque e podem ser uma boa alternativa para você consolidar suas dívidas e alongar o pagamento da mesma, uma vez que os empréstimos podem ser contratados com prazos distintos.
- Não se esqueça de que é preciso se esforçar. Portanto, tente estabelecer um prazo e valor de prestação que caibam no seu orçamento, mas também que não seja longo demais para você não pagar juros desnecessários.
- Controle suas despesas: perder uns quilinhos nunca faz mal a ninguém, o mesmo vale para seus gastos. Sempre é possível identificar áreas onde você possa cortar despesas e, com isto, liberar recursos para pagar sua dívida mais rapidamente.
- Comece com alguns passos simples. Troque o famoso fast food por um sanduíche feito em casa, ou uma visita ao cinema pelo aluguel de DVDs ou vídeos com amigos. Deixe o carro em casa e caminhe um pouco mais. Mais ainda: quem sabe andar de ônibus alguns dias da semana? Lembre-se, assim como na dieta, o mais difícil é começar. Depois que você entra no ritmo, fica bem mais fácil.
- Aprenda com seus erros: agora que você já sentiu na pele o quanto é difícil quitar uma dívida, está na hora de aprender a se planejar. Assim que você sair do vermelho, comece a poupar visando acumular recursos para as próximas férias. Mas, da próxima vez, não se esqueça de planejar bem os gastos antes de viajar, deixando sempre uma margem para emergências. Esta mudança de atitude sem dúvida irá fazer o seu retorno de férias menos traumático.
Administrar suas dívidas neste período não é nada fácil, e a ação vai exigir de você disciplina e transparência. Nada de tentar se enganar e empurrar as coisas com a barriga, pois isto só vai piorar sua situação. Se, ao analisar os gastos, você perceber que não terá como arcar com os pagamentos em dia, tente identificar alternativas para que isto não aconteça. Não fique parado!

Aproveite este período em que será forçado a tomar uma postura mais rígida com relação aos seus gastos para estabelecer um programa de reeducação financeira. De agora em diante, veja seus cartões de crédito como cartões de débito e só gaste aquilo que sabe que poderá pagar, lembre-se que sua renda mensal é só aquilo que tem na conta e não inclui, em absoluto, o limite do cartão ou do cheque especial.


 


Comentários