Ir para o conteúdo principal

Blog


Os benefícios de aceitar as emoções ruins

Os benefícios de aceitar as emoções ruins

Pode parecer paradoxal, mas aceitar nossas emoções negativas é capaz de nos deixar mais felizes no longo prazo. Desde crianças, nós viemos sendo ensinados a olhar tudo pelo lado positivo e, inclusive, animar amigos e familiares que pareçam tristes, irritados, ansiosos ou frustrados.

"Ser positivo tornou-se uma nova forma de correção moral", afirma a psicóloga Susan David, professora de psicologia em Harvard e autora do livro Agilidade Emocional. Muitas vezes dizemos algumas coisas porque nos sentimos socialmente obrigados, e não porque realmente acreditamos nelas.

Suprimir ou afastar-se de nossas emoções difíceis não é saudável ou útil, diz David. “O que acontece é que isso enfraquece nossa capacidade de lidar com o mundo como ele é, não como desejamos que seja”, destaca ela. “Isso está associado a níveis mais baixos de resiliência e de bem-estar e níveis mais altos de depressão e ansiedade.”

Identificando suas emoções

Em vez de “esconder” o que se está sentindo, ou  forçar a positividade, uma forma eficiente de lidar com uma emoção difícil é rotulá-la da forma certa, não apenas dizendo que ela é boa ou ruim.  Segundo Susan, há um espectro muito grande de emoções. Existe uma enorme diferença entre o “estresse” e a “sobrecarga”, por exemplo.

Quando rotulamos nossas emoções com mais precisão, entendemos a causa destas e ativamos nossa capacidade de estabelecer metas e fazer mudanças concretas. Tente entender o porquê de seus sentimentos, criando um distanciamento. Aja como um observador e nomeie todas as dimensões de sua experiência.

Em vez de simplesmente dizer “estou triste”, pense nos motivos: “estou percebendo que estou me sentindo triste, estou percebendo que estou me sentindo prejudicada, estou percebendo o desejo de desistir".

Como agir diante de um sentimento negativo

Depois que identificamos a emoção, a dica é “observá-la com compaixão”. A compaixão permite que criemos um espaço seguro dentro de nós, no qual podemos correr mais riscos. Assim, somos capazes de explorar, sabendo que se algo não der certo ainda gostamos de nós mesmos e seremos gentil conosco.

Isso permite que se traga outras partes de nós, como nossos valores e vontades. Fazendo com que fiquemos no controle das emoções. “O que é mais importante não é se você tem pensamentos ou emoções negativas, mas se você se envolve neles”, com Susan, “que é quando esses pensamentos começam a direcionar seus comportamentos e suas interações”.

Fonte:

Comentários